metro3

00:00
Natan Donadon
Família do deputado preso tem até meia-noite para sair do imóvel funcional

Caso o imóvel não seja desocupado, será cobrada multa de R$ 127/dia

Publicado: 16 de agosto de 2013 às 19:41 - Atualizado às 21:42

A família do deputado Natan Donadon (sem partido-RO) tem até a meia-noite de hoje (16) para desocupar o apartamento funcional da Câmara. Caso o imóvel não seja desocupado, a partir de amanhã (17) será cobrada multa diária no valor de R$ 127,00. No dia 10 de julho, a Mesa Diretora da Câmara assinou ato retirando todas as prerrogativas parlamentares (direitos e benefícios) de Donadon.

Enquanto a Câmara pede a desocupação do imóvel, mas Donadon continua deputado federal. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) está analisando o processo de cassação do mandato do deputado e a votação está prevista para quarta-feira (22). Se a comissão aprovar o pedido, caberá ao plenário decidir se o parlamentar o mandato. A votação é secreta e são necessários pelo menos 257 votos favoráveis à cassação.

Donadon está preso desde o dia 28 de junho no Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal. Acusado de desviar R$ 8,4 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia, à época em que era diretor financeiro da Casa, o deputado foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal a mais de 13 anos de prisão pelos crimes de peculato e formação de quadrilha.

Segundo a Assessoria de Imprensa da Câmara, a desocupação do apartamento funcional está amparada em decisão da Mesa Diretora. No dia 12 de julho, a Câmara tentou notificar a esposa do deputado da necessidade de entregar as chaves do imóvel. Como ela não assinou a notificação, a Câmara elaborou uma certificação de recusa do recebimento, informando que, a partir do dia 17 daquele mês, a família tinha prazo de 30 dias para desocupar o apartamento. A esposa de Donadon assinou o documento.

Notícias relacionadas
Amigo de doleiro
Quase cassado, Vargas pede licença médica de uma semana
Ficha suja
Processo de Maluf dormita no TSE há um mês
Mensalão
José Dirceu xingado de ‘ladrão’ ao ganhar liberdade vigiada
Operação Satiagraha
Supremo condena Protógenes a 2 anos e seis meses de reclusão