metro3

00:00
  • 31 de outubro de 2014

    Mal derrubou o baiano César Borges em junho, para renomear Paulo Sérgio Passos no Ministério dos Transportes, a cúpula do PR já reivindica nova mudança. Quer emplacar seu secretário-geral Antônio Carlos Rodrigues (SP), ligado ao mensaleiro Valdemar Costa Neto, dono do partido. Rodrigues é suplente de Marta Suplicy (PT) e deve perder a cadeira com o provável retorno da ministra ao Senado.

    Compartilhar
  • Marta Suplicy caiu em desgraça no Planalto por ter feito corpo-mole na campanha de Padilha, em São Paulo. Ela queria ser a candidata.

    Compartilhar
  • Dirigentes do PR alegam ter feito acordo com o governo: Paulo Passos assumiria “mandato tampão” no ministério só até a reeleição de Dilma.

    Compartilhar
  • O presidiário Valdemar Costa Neto aproveitou saídas do presídio, no semiaberto, para articular a queda de César Borges.

    Compartilhar
  • Para líder da oposição, Domingos Sávio (MG), a derrota de Aécio Neves não cacifa Geraldo Alckmin a disputar a Presidência em 2018.

    Compartilhar
  • Sondados, banqueiros recusaram a missão impossível de chefiar o Ministério da Fazenda de Dilma, e como Lula veta Aloizio Mercadante e Jaques Wagner, a opção pode ser pior: o ex-secretário-executivo Nelson Barbosa. Ele instituiu a fracassada “nova matriz econômica”, do início da era Dilma, provocando o desarranjo das contas públicas que ainda hoje atormenta autoridades econômicas e o Banco Central.

    Compartilhar
  • Nelson Barbosa tentou reinventar a roda, com um “novo equilíbrio macroeconômico” em lugar do tripé que prevalecia desde o Plano Real.

    Compartilhar
  • A ideia de Nelson Barbosa, de operar a economia com um câmbio mais desvalorizado e taxa de juros mais baixa, levou o País ao atual atoleiro.

    Compartilhar
  • No blog de Zé Dirceu, Nelson Barbosa criticou a visão “industrialista”, que preconiza câmbio lá em cima (desvalorizado) e os juros baixos.

    Compartilhar
  • Henrique Alves (PMDB-RN) prestou serviços ao PT, como arquivar 11 pedidos de impeachment de Dilma. Por isso não entende por que o PT e Lula ajudaram a derrotá-lo, na disputa pelo governo potiguar.

    Compartilhar
  • Vice-presidente do PMDB, o senador Valdir Raupp (RO) garante que não vai se meter na candidatura de Eduardo Cunha na Câmara: “Até porque não gostaríamos de interferência da Câmara no Senado”.

    Compartilhar
  • São cotados para líder do PMDB na Câmara, em 2015, Manoel Júnior (PB), Danilo Forte (CE), Lúcio Vieira Lima (BA), e Leonardo Picciani (RJ), Leonardo Quintão (MG), Marcelo Castro (PI) e José Priante (PA).

    Compartilhar
  • O vice-presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), se tornou figura frequente no cafezinho esta semana. Ele quer disputar  comando da Casa contra Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em 2015.

    Compartilhar
  • Presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira convocou reunião com os deputados eleitos, dia 5, em Brasília, para discutir os rumos do partido e quem será líder na Câmara. O mais cotado é o mineiro Júlio Delgado.

    Compartilhar
  • Por sugestão da presidente do STM, Maria Elizabeth Teixeira Rocha, o presidente da Câmara, Henrique Alves, vai criar grupo de trabalho, com deputados e juristas, para discutir a reforma do Código Penal Militar.

    Compartilhar
  • O presidente do Centro das Indústrias do Amazonas, Wilson Périco, teme que assuma no lugar do superintendente da Suframa, Thomaz Nogueira, que se demitiu, alguém sem identidade com a atividade industrial e, pior, que desconheça nuances da zona franca de Manaus.

    Compartilhar
  • É lorota atribuir a vitória de Dilma ao Nordeste. Ela foi a mais votada em dois dos três estados mais ricos, Minas e Rio, que, juntos com São Paulo, onde o PT não teve bom candidato, somam 53,1% do PIB.

    Compartilhar
  • …os esperneios do PMDB, que nunca foi disso, fazem lembrar um velho adágio popular: “Esse defunto quer reza…”

    Compartilhar


voltar para 'Diário do Poder' voltar para topo