Publicidade
16 de Maio de 2017
Já acusado de tráfico de influência, Lula pode responder por formação de quadrilha internacional, após a confissão de João Santana de que o ex-presidente esteve por trás das campanhas do marqueteiro em sete países, utilizando o esquema petista de financiamento eleitoral com recursos de caixa 2. Como no Brasil, as cinco campanhas foram pagas com o superfaturamento de contratos com empreiteiras brasileiras.
Lula articulou o financiamento eleitoral nesses países. “Todas no caixa 2“, segundo João Santana, que ainda foi designado marqueteiro.
Santana trabalhou para candidatos “de esquerda” no Peru, Argentina, República Dominicana, El Salvador, Honduras, Venezuela e Angola.
Lula convenceu seus aliados “de esquerda” nesses países a adotar o mesmo esquema que implantado no Brasil com empreiteiras.
A procuradora Thaméa Danelon, colaboradora da Lava Jato, considera que a mesma organização criminosa atuou, de fato, em vários países.
Publicidade
A Pampa Energia admitiu, em nota, que o preço pago pelos ativos da Petrobras na Argentina (Pesa) foi “baixo”. A Pesa foi vendida ao grupo do empresário Marcelo Mindlin por US$897 milhões, menos da metade do valor de mercado. A venda ocorreu em 4 de maio de 2016, uma semana antes da queda de Dilma. Esta coluna advertiu para o negócio lesivo ao Brasil em 5 de abril de 2016, um mês antes de ser efetivado.
A ligação dos envolvidos na compra com a família Kirchner, aliada de Dilma, foi fundamental para o “negócio da China” fechado na Argentina.
Leitor da coluna sabe desde outubro o que o Valor divulgou sábado: a juíza Maria Amélia de Carvalho abriu investigação da presepada.
De acordo com a ação na Justiça, o prejuízo imediato da venda à Pampa foi de cerca de US$1 bilhão (ou R$3,2 bilhões, à época).
Filha do ex-presidente José Sarney, Roseana Sarney deve ser candidata ao Senado pelo PMDB do Maranhão, em 2018. Mas tem gente que a pressiona a disputar novo mandato de governadora.
Ao ouvir assessores combinando almoçar logo após uma cerimônia, no Planalto, Michel Temer se ofereceu para ir junto. Com segurança discreta, foi ao restaurante “Tejo”, de cozinha portuguesa, e mandou, delicioso arroz de robalo com camarão, e meia sericaia de sobremesa.
Usar medidas provisórias para inserir “jabutis” virou mina de ouro na Câmara, desde os tempos em que Henrique Alves foi presidente. A MP 651, por exemplo, recebeu 334 “emendas” sobre temas diferentes.
O presidente do Sebrae, Guilherme Afif, lança sábado em duas favelas de São Paulo o programa que acaba a proibição absurda de formalizar pequenos empreendimentos em imóveis não regularizados.
Chegou ao Palácio do Planalto denúncia que usam veículos da frota oficial para fazer “panfletagem” contra Michel Temer e o PMDB um servidor e um jornalista da empresa pública de comunicação, EBC.
Michel Temer irá a Pernambuco esta semana para devolver a gestão do porto de Suape ao governo estadual, retirada por Dilma. Suape gera 20 mil empregos e tem R$ 50 bilhões de investimentos privados.
Três deputados discordaram do texto final da CPI do BNDES e pediram o indiciamento do ex-presidente do BNDES Luciano Coutinho, agora alvo da operação Bullish, da Polícia Federal: Alexandre Baldy (PTN-GO), Arnaldo Jordy (PPS-PA) e Sérgio Vidigal (PDT-ES).
Não surtem efeito prático as votações convocadas pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para as segundas-feiras. Nesta segunda, não deu para juntar nem mesmo o quórum mínimo de 257 deputados.
...os brasileiros ainda não sabem se a reforma política é necessária, mas não têm dúvida: é urgente reformar os políticos.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados