09 de Julho de 2017
O anúncio do presidiário em férias José Dirceu de que “o PT retomará o poder” deve ajudar os aliados de Michel Temer a convencer os que se afastaram do presidente a votar contra a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), na próxima semana. Políticos experientes observam que o linchamento diário de Temer favorece os planos finalmente confessados pelo ex-ministro, em recente passeio à Bahia.
Dirceu pretendia animar a militância envergonhada com a corrupção dos governos do PT, mas acabou reaglutinando o antipetismo.
O primeiro a perceber o erro estratégico de José Dirceu foi, claro, Lula. E disparou recados para que ele pense mais, antes de falar.
Permanece no Congresso a maioria esmagadora que expulsou Dilma do governo. Maioria que jamais favoreceria o retorno do PT.
A oposição demorou a perceber que os “coxinhas” não foram às ruas contra Temer porque seu grande objetivo era derrubar o “lulopetismo”.
Publicidade
Os três poderes federais, para além das Forças Armadas, empregavam no início do ano 2.207.112 funcionários, o maior efetivo da História. Em 2017, o equivalente a apenas 0,006% (no total, 138) dos servidores perderam o cargo, sendo 119 demitidos, 6 destituídos e 13 cassações de aposentadoria, por fraude e outras safadezas. Ninguém foi demitido por incompetência, desleixo, falta contumaz, déficit de desempenho. A estabilidade os protege. Mas um projeto no Senado trata do assunto.
Proposta da senadora Maria do Carmo (DEM-SE) prevê a demissão de servidores que sejam reprovados em avaliações de desempenho.
Oficialmente, os burocratas do Ministério do Planejamento juram que o número de servidores caiu (uma vez, em 2008). Já os salários...
No País dos escândalos governamentais de corrupção como Mensalão e Petrolão, somente 550 foram demitidos por irregularidades, em 2016.
Nos maiores devedores da Previdência na indústria estão empresas de prestígio como Teka Tecelagem (R$763 milhões), Marchesan Máquinas Agrícolas (R$537 milhões) e Dedini S/A (R$628 milhões).
Líderes do governo estão pecando pelo excesso de otimismo. Eles garantem que haveria na Câmara dos Deputados três votos favoráveis a Michel Temer para cada voto por sua destituição. Um exagero.
Na tentativa de apressar a análise da denúncia contra Michel Temer, eram necessários 51 deputados para abrir sessão de sexta-feira na Câmara. Apareceram 71 parlamentares. A oposição se surpreendeu.
Além da votação da reforma trabalhista nesta terça, na quarta (12) Raquel Dodge, futura procuradora-geral da República, será sabatinada na CCJ do Senado. Em seguida, o plenário votará a indicação.
O açoite sem tréguas em Michel Temer guarda surpreendente distância das ruas. E também das pesquisas: desconfiados, os telespectadores estão abandonando a audiência dos telejornais “Fora Temer”.
O portal da Transparência mostra que a Polícia Federal padece do mesmo mal de todo o serviço público. Dos R$2,45 bilhões em gastos diretos, 90% foram para pagar pessoal. Sobra pouco para o restante.
Relatora da PEC que cria mandato de 10 anos para ministros do STF, a senadora Ana Amélia (PP-RS) lembra que o presidente escolherá o nome a partir de uma lista tríplice, como ocorre na PGR, AGU etc.
O governo Michel Temer já destinou R$9,7 bilhões ao programa Bolsa Família em 2017: a Bahia é o Estado que recebe mais (R$1,2 bilhão), seguida por São Paulo (R$935 milhões) e Maranhão (R$808 milhões).
...apesar das bombas e protestos, Michel Temer parecia muito mais tranquilo no G20 do que em Brasília.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados