Publicidade
23 de Janeiro de 2018
Os críticos à nomeação da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) no cargo de ministro do Trabalho, alegando que ela sofreu condenação da Justiça do Trabalho, são basicamente os mesmos que defendem a candidatura presidencial de político condenado por corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Até empunham faixas para sustentar o besteirol de que “eleição sem Lula é fraude”.
É extraordinário o talento de Michel Temer para escolher mal os seus auxiliares, mas ele tem o direito de fazê-lo. E de empossá-los.
Se Cristiane Brasil respondeu a ação trabalhista, como a maioria dos empregadores brasileiros, Lula está condenado por ladroagem.
Advogados próximos do PT, que impedem na Justiça a posse da ministra, curiosamente não ameaçam a candidatura de político ladrão.
Além da condenação a 9 anos e meio de cadeia por corrupção, Lula responde a seis outros processos igualmente graves.
Publicidade
Área essencial para um governo como o de Michel Temer, que bate recordes de rejeição, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência amargou uma rara prova de desprestígio: sem consultar a ninguém, o líder do governo, deputado André Moura (PSC-SE), fez o relator do Orçamento, Cacá Leão (PP-BA), retirar R$ 210 milhões de comunicação para contemplar parlamentares amigos. Aparentemente, só o ministro Dyogo de Oliveira (Planejamento) sabia da operação.
A “tunga” de André Moura somente foi percebida durante reunião, com a presença de Temer, para o planejamento de marketing para 2018.
Em estado de perplexidade, o Planalto obteve do próprio relator Cacá Leão a revelação de que a ordem da “tunga” foi de André Moura.
A Secom confirmou o surrupio e informou que esses R$210 milhões seriam usados em campanhas de utilidade pública e esclarecimento.
Enquanto no Brasil de Temer o preço do botijão sofreu 6 aumentos só este ano (o de tamanho grande já custa R$420), em Portugal, que não produz petróleo ou gás, governo subsidia botijão para quem é carente.
O ministro Moreira Franco (Secretaria Geral) desdenhou da advertência sobre o frio em Davos, na Suíça: “Piauiense sobrevivente, habituado ao calor de 43 graus, eu não me intimido com 10 graus negativos”.
Michel Temer foi quem acalmou ministros próximos após a decisão da ministra Cármen Lúcia, na madrugada de segunda (22), de impedir a posse da ministra do Trabalho. O governo vê “retaliação” à reforma da Previdência, acabando privilégios que beneficiam a magistratura.
Se a propina da “doação empresarial” foi proibida, políticos criaram o “fundo eleitoral” (público, claro) bilionário para pagar suas campanhas. Como transportar eleitor é crime, querem passar para o contribuinte otário a conta do transporte do eleitor, feito gado, no dia da eleição.
O vereador Raniere (PDT) reassumiu a presidência da Câmara de Natal no fim de 2017, em decisão semelhante à que devolveu Aécio Neves ao Senado. No dia 10 demitiu 448 e no dia 19 contratou 341.
Se o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) mantiver a condenação, Lula fica inelegível segundo manda a Lei da Ficha Limpa, independente do placar do julgamento, nesta quarta (24).
Criminalista e ex-delegado, João Ibaixe Junior afirma que a sentença de Lula deverá ser confirmada no TRF-4, na quarta (24): “A questão não é que não existam provas para a condenação, mas sim se as provas existentes demonstram ou não a vontade da prática delitiva.”
Renan Calheiros divulgou vídeo acusando a Justiça de condenar Lula “sem provas”. Sua esperança de reeleição é Lula no seu palanque. Mas a troca de partido está descartada: o PT veta sua filiação.
... o problema, para Sérgio Cabral, não foram as algemas, mas o mico.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2018 - Todos os direitos reservados