Publicidade
26 de Julho de 2017
O Programa de Demissão Voluntária (PDV) do governo federal tem o mérito de mexer nesse vespeiro, mas a economia prevista de R$1 bilhão é quase irrelevante, considerando gastos com pessoal a cada ano: R$284 bilhões. Outro detalhe mostra como é modesta a proposta de PDV: o governo Michel Temer agora tenta economizar R$1 bilhão, mas em 2017 já aumentou a despesa com pessoal em R$15 bilhões.
As 5.000 pessoas que o governo pretende atrair para o PDV representam menos de 1% dos atuais 636.000 servidores públicos.
O governo terá dificuldade de convencer os servidores a abandonar serviço público federal, que paga 80,1% a mais que o setor privado.
Os gastos com pessoal só não são maiores no governo que as despesas com Previdência, que já ultrapassam meio trilhão de reais.
O temor, no Planalto, é que em breve se reproduza em escala federal a situação de estados como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.
Publicidade
O governo conta lorota quando divulga que aumentar impostos “é a única alternativa” para fechar as contas. Antes dessa opção, deveria cortar gastos, inclusive de benesses para ocupantes de cargos e funções comissionados, como carro com motorista, residências funcionais compradas e mantidas pelo poder público, “auxílio moradia” para várias categorias, passagens aéreas de primeira classe etc.
Além dos gastos com regalias, há despesas com mordomias, vestuário e alimentação e até flores: esse item já custou R$480 mil só este ano.
O ex-presidente FHC foi o primeiro a nomear uma chef de cozinha para a residência oficial. Roberta Sudbrack ganhou o cargo em 2000.
Em julho de 2013, a então presidente Dilma também nomeou uma chef de cozinha exclusiva, no Palácio da Alvorada.
Cresce a certeza, entre investigadores, de que Lula vai se complicar para explicar os R$9,6 milhões em suas contas. Afinal, em sua última declaração disponível na Justiça Eleitoral, em relação à eleição de 2006, quando ele se reelegeu, Lula declarou R$839 mil.
O governo aumenta impostos, mas não corta mordomias (carro oficial, jatinhos) e privilégios (imóveis funcionais, auxílio-residência etc). Além de renúncias fiscais bilionárias para beneficiar negócios privados.
Apenas seis ministérios usaram pouco jatos da FAB este ano, até hoje. Além do Ministério da Transparência, invicto, Direitos Humanos usou 9 vezes, AGU 8, Cultura 2, Secretaria de Governo 6 e Banco Central 3.
Amigos do ex-governador José Roberto Arruda tentam convencer sua mulher, jornalista e apresentadora Flávia Arruda, a disputar o governo do DF. É um fato novo que pode mudar a história da eleição de 2018.
O governo não está perdendo os cabelos com a votação da denúncia contra Michel Temer. “O governo está atento, mas não está paranoico”, revelou um articulador. O Planalto acha que a denúncia já era.
Relator do projeto que dispensa deficiente de exames na renovação de habilitação, o deputado Valadares Filho (PSB-SE) disse que “quem teve membro amputado não deve provar a situação reiteradamente”.
O Brasil é o 140º colocado no ranking mundial, no Index de Liberdade Econômica (IEF, em inglês) criado pela Heritage Foundation. Desde 2003, o Brasil deixou de ser “mais livre” e agora é “menos livre”.
O Brasil fez esta semana, com sucesso, o voo inaugural do primeiro dirigível tripulado fabricado no País. Voltado para cargas, a aeronave atinge 85km/h e carrega até 1.000kg, fora piloto e mais cinco pessoas.
... se o MST decidiu invadir propriedades de corruptos, como dizem suas faixas, tem sítio de condenado dando sopa em Atibaia.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados