Publicidade
Canalhas jogaram as patas em Alexandre Garcia

Outro espetáculo de selvageria, ódio e insensatez  fez nova vítima: depois de  ofensas e xingamentos a  Miriam Leitão, agora o alvo dos marginais e covardes, armados com celulares, dentro do avião, foi o jornalista Alexandre Garcia. É preciso que se dê um basta nessas cenas antidemocráticas,  irresponsáveis e desrespeitosas. A escalada dos fanfarrões fantasiados de donos da verdade não pode ser mais tolerada. O bom senso repudia patifes.    O imbecil e exibicionista que se comporta dessa maneira, constrangendo a tudo e a todos, tem que ser punido e enjaulado. Não pode conviver com pessoas de bem.

 

Moreno partiu
Jorge Bastos Moreno partiu feliz. Consciente do dever cumprido. Repórter indomável. Mordaz, irônico. Excelente contador de histórias curiosas, marcantes, engraçadas e reveladoras. 

 

As perfídias do Janot
Indignidade, prepotência, insanidade e estupidez, do procurador-geral Rodrigo Janot, desesperado, irado e raivoso, tentando  incriminar em delitos, a todo custo, o presidente da República, Michel Temer. Arrogante e fantasiado de paladino de barro, o vazador-mor Janot  age com destempero, apoiando causas vencidas . Além de desrespeitar a soberania do TSE, que deu ganho de causa a Temer. Saiba o procurador que o Palácio do Planalto não ficará inerte nem indiferente, pelo contrário, diante das pantomimas do deslumbrado e balofo Janot. 

 

Partiu o iate dos pulhas
Trombeteiros anunciam o retorno do comandante dos irmãos-metralha. Incontidos sorrisos no arraial do MPF.  Expectativa abissal entre os passageiros do iate que vai zarpar com mergulhadores e ourives em busca de prendas e tesouros até então desconhecidos que poderão levar Michel Temer ao paredão. Tudo, claro, dentro da legalidade e da isenção. Características de vida do inigualável e estupendo  procurador-geral Rodrigo Janot. Tripulação a bordo. Com trabucos nos dentes. Óculos escuros para aliviar  o sangue nos olhos. Além de muito fio-dental para tirar picanhas e maminhas dos dentes.  Afinal, nem dedo-duro  é de ferro. 

 

Meio Ambiente
Considerações sobre o discurso do ex-presidente e senador, Fernando Collor, sobre os 25 anos da Rio-92

Muito oportuno. A questão ambiental e os discursos que a sustentam estão perdendo força, a cada dia. 

O aniversário da Conferência de 92 não podia passar em branco. O então presidente Collor teve um papel importante, não apenas no apoio à realização da Conferência Mundial do Meio Ambiente, mas também nos posicionamentos assumidos. Era a concordância do Brasil em abrigar a Conferência. Embora fosse um grande protagonista nas discussões ambientais, vinha sendo arrastado por atores menores. 

No momento  do lançamento da Conferência, o Brasil  assumiu a vanguarda da ideia do "crescimento sustentável".

Posso dizer - a exemplo do Gilmar Mendes - "Modéstia à parte", eu estava lá. Participei das discussões preliminares e coordenei o lançamento da Conferência, ao lado de um sujeito também formidável , Israel Klabin,  promovendo um grande evento, com a participação  do então Presidente da República, no Parque Nacional da Tijuca. Fizemos uma caminhada de três quilômetros,  ao nascer do dia, pelo interior do Parque ,com largada solene, marcada pela banda do Corpo de Fuzileiros Navais, tocando o Hino Nacional. Participaram embaixadores, ministros, intelectuais, trabalhadores e guardas do Parque, funcionários do Ibama, jornalistas brasileiros e correspondentes internacionais. O evento foi encerrado com uma declaração do Brasil e um concerto  da Orquestra Sinfônica Brasileira no meio da floresta. À tarde fizemos um ato de queima de uma montanha com  "dez toneladas de peles de animais silvestres, recolhidas pela fiscalização

ambiental". Pode até não ter tido o efeito esperado, mas foi lindo... Imaginem a Orquestra Sinfônica tocando Villas Lobos e Chopin dentro de uma floresta, com os pássaros despertando.

É isso. Desculpem a lembrança. Depois disso, correu tanta água debaixo da ponte....  (Aylê- Salassié - jornalista, escritor e professor)

 

Altivez de Gilmar
Creio que o ministro Gilmar Mendes retrucou, com isenção e serenidade( Entrevista da 2*- 12/6- Folha de São Paulo), ilações e insultos, por má-fé, desinformação ou burrice, dirigidas ao TSE em razão do resultado do julgamento que inocentou a chapa Dilma-Temer. 

 

Imbecil e mentiroso Romário
O inútil, ressentido e desmoralizado Romário insiste em ser irresponsável. O relatório bolorento, recalcado e mentiroso que tentou aprovar na CPI do Futebol não tem validade jurídica. O desesperado Romário pode rosnar a vontade e plantar canalhices a vontade. O relatório final aprovado na CPI do Futebol  é da autoria do senador Romero Jucá. É o documento que vale para a justiça. O tal plano B de Romário é um calhamaço de ilações e acusações sem provas e ridículas. Repleto de notícias requentadas, vencidas, ultrapassadas e enterradas. Como breve será o próprio Romário, enterrado nas  urnas pelo  eleitor carioca, iludido pelas fanfarrices  e sandices do ridículo senador. O Rio de Janeiro não merecia senador tão inexpressivo. 

 

Limongi é jornalista . Trabalhou no Globo, TV-Brasília,  Última Hora de Brasília, Confederação Nacional da Agricultura, Universidade de Brasília, Suframa e Senado Federal. É sócio da Associação Brasileira de Imprensa há 48 anos. É servidor aposentado do Senado Federal. Tem face e blog. Matérias e artigos assinados nas revistas O Cruzeiro, Fatos e Fotos, Foco e Aqui-Goiânia. Em jornais como Tribuna da Imprensa, Jornal do Brasil, Correio Braziliense, Jornal de Brasília, semanário Opção, A Notícia, A Crítica e Jornal do Comércio. 

Publicidade
TWITTER
@colunach

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados