Publicidade
Agressão a Miriam Leitão é uma afronta ao país

Santorini, Grécia -  São graves as ameaças sofridas por Miriam Leitão por um bando de desocupados do Partido dos Trabalhadores. O fato aconteceu quando a jornalista se deslocava de Brasília para o Rio de Janeiro a bordo de um avião. Dezenas de petistas, lunáticos, seguidores da seita lulista, achincalharam a comentarista da Globonews e colunista do Globo e, por pouco, não a agrediram fisicamente. O constrangimento durou todo o tempo de viagem, cerca de duas horas, segundo revelou a própria Miriam na sua coluna no jornal carioca.

 

A reação dos facínoras do PT aos jornalistas que escrevem com independência sobre o escândalo de corrupção desses meliantes é motivada pelos discursos de Lula que conclama seus parceiros sindicais a tocar fogo no país. Os baderneiros, que ocupavam o mesmo voo da jornalista, também xingaram a TV Globo, onde ela trabalha, acusando a empresa de criticar seu líder, um político, segundo ele próprio, acima de qualquer suspeita. A manifestação desses analfabetos políticos é um sinal claro de que outras hostilidades vão ocorrer no país se o juiz Sérgio Moro condenar o chefe da organização criminosa.

 

Com as mordomais cortadas e alguns de seus líderes na cadeia, os petistas estão sentindo na pele o desemprego gerado por seu partido quando governou o país. Hoje mais de 14 milhões de trabalhadores vivem na marginalidade, fruto da administração desastrosa de Lula e Dilma à frente do comando da economia. Desgarrados das boquinhas dos cargos comissionados, muitos deles agora apontam seus mísseis para os jornalistas, culpando-os por dizerem a verdade sobre o maior assalto aos cofres públicos praticado pelo PT.

 

Miriam Leitão é uma jornalista íntegra, decente, que já passou por outros constrangimentos durante a ditadura militar quando foi presa e torturada. Brilhante como comentarista econômica, utiliza seu espaço para fazer análises abalizadas e imparciais sobre os problemas econômicos e sociais que atingem o Brasil. Não tem culpa de revelar aos brasileiros o quadro caótico da nação e o desserviço dos petistas quando ocuparam as estatais para se locupletarem do dinheiro público. Como ela, muitos outros profissionais desengajados de partidos políticos também escrevem com isenção sobre os fatos desabonadores do PT. Nem por isso, portanto, devem ser crucificados ou agredidos por esses dirigentes partidários e lunáticos ensandecidos.

 

Esses ataques a quem pensa diferente deles são feitos por militantes desqualificados, indecentes, truculentos e idiotizados. Merece todo repúdio dos brasileiros que veem nesse tipo de comportamento tresloucado de alguns trogloditas do PT uma maneira de coagir e silenciar a imprensa, práticas tão usadas por ditadores sanguinários, espúrios e nefastos que feriram a democracia em tempos recentes.

 

As autoridades brasileiras precisam estar atentas para impedir que casos como esses da Miriam não se propalem. Aliás, a Justiça deve punir com rigor esses provocadores para evitar que hostilidade desse tipo se espalhe pelo Brasil afora e vire uma baderna generalizada, pois se depender de Luiz Inácio as arruaças vão continuar como forma de intimidar a Justiça e os jornalistas que não estão a soldo da organização criminosa e nem rezam em sua cartilha ideológica.

 

Lula deve ser responsabilizado por qualquer ato hostil cometido por seus militantes. É dele a proposta para que seu exército vermelho, formado por delinquentes financiados pelos sindicatos e centrais, toque fogo no país. Já foi flagrado inclusive falando com o senador Lindbergh para “ir pro pau” contra o Temer, o vice que ele mesmo criou, ou para o “tudo ou nada”, o que mostra o caráter autoritário de um déspota desequilibrado e anacrônico que não se contenta com o fim do poder.   

Publicidade
TWITTER
@colunach

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados